"O Bonsai é um breve pensamento poético que nos toca o coração.”

O bonsai é uma arte de possibilidades ilimitadas.

03 março 2010

Como Cuidar - BUXUS




Família: Buxaceae
Origem: Mediterrâneo, Oriente
Porte: Atinge até 2 a 5 m. de altura
Propagação: Por estaca e mergulhia.
Luminosidade: sol pleno/meia Sombra.
Regas: Regulares, sempre que o solo estiver seco                                             
Solo: alcalino


Árvore ou arbusto lenhoso, de folhas perenes, podendo atingir 5,0 metros de altura muito utilizada para a topiaria, por ser muito resistente. Sua folhagem miúda e verde escura regenera-se muito bem após as podas. Possui madeira dura de cor clara. Muito utilizado por bonsaísta em diversos estilos, entretanto deve ter paciência, ao cultivá-lo, pois seu crescimento é lento se comparado a outras árvores. É uma árvore de vida longa e rusticidade ficando bonita com cuidados básicos e exigindo pouca manutenção. Apesar de viver a meia sombra. Deve ser sempre cultivados a pleno sol, com solo fértil e regas regulares. É tolerante ao frio.


Ambiente - É uma planta que aprecia locais ensolarados, mas que tolera a sombra durante uma parte do dia. Aprecia solos argilosos, com bom teor de matéria orgânica. É uma planta que resiste bem ao clima frio, mas também pode ser cultivada em climas mais quentes com grande sucesso por isso é muito apreciada por bonsaístas por todo mundo.

Solo - O solo deve ser poroso e conter matéria orgânica ( casca de pinheiro ralada, ou outra matéria orgânica curtida.) Atenção: Toda a matéria orgânica deverá ter passado por um período de curtição por no mínimo 180 dias, ou poderão danificar as raízes da árvore bem como a formação de gases tóxicos no solo prejudicará à planta. Uma boa composição do solo para o plantio de nosso bonsai de é a  combinação de: 20% de areia grossa ou pedrisco 3 mm (calcária) + 50% de matéria orgânica + 30% caquinhos de cerâmicas 3 a 5 mm (tijolos /telhas) Todos os componentes do solo deverão estar secos e peneirados para a retirada de partículas muito miúdas e do pó antes de ser usado. Se possível aquecer toda mistura a uma temperatura de180° por 20 minutos para eliminação de parasitas e de seus ovos. Deixar esfriar todo o conjunto antes de usar. Caso use apenas cascalhos de tijolo espalhe pedacinhos de gesso sobre o solo ou adicione-os na mistura. A mistura acima é para regiões quentes como Rio de Janeiro em outras regiões deverá colocar apenas 30 ou 40% de matéria orgânica na mistura para evitar o excesso de umidade.

Rega - O Buxus é muito sensível ao excesso de rega, sobretudo ao encharcamento da terra, o que provocam freqüentes ataques de fungos que consomem a parte inferior do tronco. É muito importante deixar o solo secar entre as regas. Devemos fazer pulverizações nas folhas e ramos principalmente nos dia mais quentes e mais secos. Como já falei em outras ocasiões Alguns são contra esta pratica por motivos que eles consideram validos, Não os critico. Se eles estão tendo sucesso assim que continuem, no meu caso tenho tido excelentes resultados usando esta.


Adubação - Os Buxus gostam muito de adubos nitrogenados. Existem adubos de ação lenta e de varias formulações como Osmocote, que poderá ser usado. Uma mistura orgânica que produz resultados excelentes é: Torta de Algodão ou Mamona 50% + Farinha de osso 50% colocada na borda do vaso a cada trinta dias na proporção de uma colher de sopa rasa para vasos com 20 a 22 cm de comprimento (vasos menores ou maiores deverão receber quantidade proporcional ao seu tamanho). Outro modo é fazer uma rega semanal ou uma pulverização semanal usando para isso a mistura feita com 2 colheres de sopa rasa de uréia dissolvida em 10 Litros de água. Regue ou pulverize a uréia sempre ao entardecer, pois ela se evapora com a luz. Use adubo contendo micros nutrientes S, B, Cu, Mn e Zn pelo menos uma vez ao ano. De preferência aos adubos foliares.
Nunca adube sobre o sol forte faça-o de preferência nas primeiras horas do dia ou nas últimas horas da tarde. Faça uma rega pelo menos uma hora antes de efetuar cada adubação mesmo que ela seja foliar. Em épocas muito quentes não se deve adubar, assim também como em épocas de frio intenso.

Poda - As podas podem ser divididas em duas partes distintas: Podas de formação e de manutenção. A primeira tem o objetivo de dar à árvore a forma desejada, o que pode envolver podas mais drásticas. Estas deverão ser feitas aos poucos ao longo do ano para dar as planta a oportunidade de se recuperar. Já na segunda é feita uma pinçassem que manterá a árvore refinada com a forma desejada por mais tempo.
Proceda desta forma: Deixe o ramo crescer até que ele pare e suas folhas ganhem um tom verde escuro. Quando as gemas nas axilas das folhas começarem a inchar, pode o ramo, deixando apenas um ou dois pares de folhas. Caso o ramo esteja muito fino e se deseje que ele ganhe mais vitalidade deixe-o crescer livremente uma segunda vez até alcançar a grossura de um palito de fósforo então pode. Observe bem o local aonde irá realizar a poda, pois as folhas do Buxus nascem aos pares, o que originará dois brotos opostos, que poderão nascer para o lado errado, para evitar que estes nasçam numa direção não desejada. Retire a gema lateral da direção oposta à desejada. Faça os cortes com tesoura afiada e esterilizadas. Use a chama azul de um maçarico para isso. Nunca corte as folhas do Buchinho ao meio, pois suas folhas demoram a cair e sua árvore ficará com a aparência horrível por muito tempo. Faça uma poda de limpeza após a segunda brotação do ramo podado, removendo todos os toquinhos que restaram das podas anteriores. Em galhos finos Faça isso com um alicate de corte reto (um alicate de unha bem afiado, efetua maravilhosamente bem essa limpeza). Essa poda é importante para dar naturalidade ao movimento dos galhos e ajuda muito a melhorar a estética de toda árvore.

Transplante - O Buxus produz uma grande quantidade de raízes, mas como indicação geral, uma transplantação a cada 3 anos pode ser suficiente. Retire a árvore do vaso solte as raízes com o auxílio do rashi e corte 1/3 delas. Depois plante a árvore em um novo substrato lembrando-se de prender a árvore no vaso com fios para que ela fique firme até que ela se estabeleça novamente. Faça essa operação em dias nublados e sem vento para não correr o risco de ter as finas raízes desidratadas. Nunca deixe as finas raízes secarem. Se desejar, poderá fazer uso de enraízadores para adiantar o processo de estabelecimento da árvore. Se For preciso fazer uma correção do nebari, aproveite essa época, mas só o faça se perceber que ainda sobrará um número excelente de raízes para alimentar todo o conjunto. Comece a adubação cerca de 40 dias após o transplante use metade do adubo que normalmente usaria. Mantenha a árvore na sombra até que comecem a aparecer os primeiros brotos após o que vá aumentando aos poucos sua exposição ao sol.

Aramagem - Poderá ser feita da primavera até o outono, sem restrições. É preciso dizer que esta técnica deverá ser utilizada com cuidado para que não fira a casca de nossa árvore galhos mais velhos possuem madeira rija e bastante quebradiça. Assim para amolecê-los antes de aramar, é aconselhável não regá-la um dia antes. Também pode ser necessário enrolar o galho a ser trabalhado em ráfia umedecida para depois torcê-lo com arame. Para retirar o arame (nunca desenrole o fio) corte-o com um alicate. Preste atenção ao crescimento da árvore para que os arames não deixem marcas.


PROPAGAÇÃO - Os Buxus podem ser reproduzidos com sucesso sendo, sem dúvida o mais eficaz o da estaca. Não obstante, o sucesso do método está ligado à época do ano em que é feito. Para um melhor enraizamento deverá ser efetuada na Primavera. Os métodos mais usados são: a estaca, o alporque.Minha  experiência diz que uma estaquia realizada na Primavera apresentará uma grande probabilidade de sucesso. E um alporque já dará um material de excelente qualidade e já bem formado. Note, porém que o Buxus tem tendência a produzir raízes fora do anel de casca retirado, conte com isso ao fazer seu alporque.
Como fazer a estaquia: Usar sempre ramos novos de ponteiro. Retire as folhas da base da haste, deixando de 3 a 5 nós limpos.
plante as estacas em substrato do tipo: casca de arroz carbonizada, areia misturada com composto orgânico ou vermiculita tomando o cuidado de manter a umidade para facilitar o enraizamento. Pode-se cobrir o local onde se plantou as novas mudas com plástico transparente depois coloque as futuras mudas à sombra em cultivo protegido.
Quando notar emissão de folhas a estaca estará enraizada. Depois transplante para um saco plástico, vasinho ou balde usando o substrato que deverá ser uma mistura de composto orgânico de folhas ou turfa, adubo animal de curral bem curtido e areia, em partes iguais. Após o plantio regar e por uma semana regar todos os dias para garantir que a muda sobreviva. Manter protegido com sombreamento de 50% por pelo menos 6 meses. Obs: O Buxus tem um crescimento lento.

PRAGAS COMUNS - O Buxus costuma ser atacado por tripes, deve-se ficar atento às folhas, se estas aparecerem enrugadas junto às nervuras e enrolarem deveram procurar os insetos, que são escuros e minúsculos. Faça uma pulverização imediatamente após identificar o problema.

Dicas - Coloque um pedaço de giz ou gesso enterrado no vaso isso impedirá que o solo fique ácido. Lembre-se que ele gosta de solo alcalino.

     - Se tiver dúvidas de como aplicar os métodos a cima busque a orientação de bonsaístas experientes.
Faça um curso. Existem excelentes bonsaístas que ministram cursos de alta qualidade. Não veja isso como um gasto, mas como um investimento para o futuro.  Você mudará a sua maneira de ver o Bonsai.
Usar as técnicas aprendidas de maneira correta lhe dará confiança e os resultados obtidos em suas árvores lhe darão enorme satisfação evitando perdas de tempo e enormes prejuízos financeiros. Este é o meu conselho. 


db

Nenhum comentário: