"O Bonsai é um breve pensamento poético que nos toca o coração.”

O bonsai é uma arte de possibilidades ilimitadas.

02 março 2010

Como Cuidar - PITANGUEIRA



Família: Mirtáceas
Origem: Brasil
Porte: Atinge de 2 m a 10 m de altura
Floração: Primavera, Verão
Propagação: Sementes.
Luminosidade: sol pleno.
Regas: Regulares, sempre que o solo estiver seco
Solo: ácido

Muito comum no Brasil indo desde Minas gerais até o Rio Grande do Sul. A Pitangueira possui mais de 15 espécies diferentes. É uma árvore medianamente rústica, seu tronco é liso na cor bege-acinzentado com estrias que se formam na sua constante renovação da casca. A copa é globosa de folhagem densa e perene de cor verde escura e folhas pequenas, lustrosas e aromáticas. Possuem flores brancas que surgem na primavera até o verão. Seus frutos começam a vingar com maior quantidade a partir do sexto ano de vida. O bonsai de Pitangueira tem um potencial incrível devido suas tonalidades de cores e o aspecto de seu tronco. A palavra "pitanga" vem do tupi-guarani  pï'tana, que significa "vermelho" (a cor mais comum deste fruto). O fruto é também conhecido como Brazilian cherry ou Surinam cherry.




Ambiente - A Pitangueira é uma planta de exterior. Adora o sol. No verão é preciso protegê-la do sol mais intenso para não correr o risco de ter a copa da árvore danificada pelo calor. A Pitangueira ama a luz devendo ser colocada em lugares onde o sol incida diretamente sobre as folhas o maior número de horas possível. A exposição da Pitangueira ao sol é indispensável para sua floração e a frutificação e diminuição das folhas bem como seus entrenós.

Solo - O solo para Pitangueira precisa ser poroso para uma boa drenagem, deve conter também matéria orgânica (casca de pinheiro ralada é excelente) Atenção: Toda a matéria orgânica deverá ter passado por um período de curtição por no mínimo 180 dias, ou poderão danificar as raízes da árvore bem como a formação de gases tóxicos no solo prejudicará a planta. Uma boa composição do solo para o plantio de nosso bonsai de é a combinação de: 15% de areia grossa ou pedrisco 3 mm (calcária) + 50% de matéria orgânica + 30% caquinhos de cerâmicas 3 a 5 mm (tijolos /telhas) + 5% carvão. Todos os componentes do solo deverão estar secos e peneirados para a retirada de partículas muito miúdas e do pó antes de ser usado. Deve ser plantada em vaso profundo. Essa mistura é para cidades de clima quente. Caso você more em locais mais frios use uma mistura com menos matéria orgânica e mais cacos de cerâmica.



Rega - Como geralmente ocorre com a maioria dos Bonsais de frutíferas, a Pitangueira é uma árvore com consumo elevado de água. No verão deve-se regar a Pitangueira diariamente e se for preciso mais de uma vez ao dia com o objetivo de deixar sua terra sempre úmida.  Em épocas mais frias, as regas deveram ser efetuadas somente quando a terra estiver seca na superfície do vaso. O excesso de água em época fria pode causar o aparecimento de fungos e estes podem ocasionar a morte de nosso Bonsai. Deve-se fazer pulverização diariamente em toda sua copa. Alguns são contra esta pratica por motivos que eles consideram validos, Não os critico. Se eles estão tendo sucesso assim que continuem, no meu caso tenho tido excelentes resultados usando esta pratica sem qualquer outro problema, apenas tome cuidado de não pulverizar a árvore quando ela estiver florida para que não se percam as flores.

Adubação - Durante o período de forte crescimento, devemos fazer uma adubação menos distanciada. Alguns adubos podem ser usados semanalmente outros a cada mês outros a cada 3 ou 9 meses escolha o que melhor lhe convier. Os adubos mais indicados para quem possui uma grande quantidade de árvores são os orgânicos e ricos em Fósforo (P), podendo ser adubos líquidos por via foliar ou sólidos na posto na terra. Uma mistura orgânica que produz resultados excelentes é: Torta de Algodão ou Mamona 50% + Farinha de osso 50% colocada na borda do vaso a cada trinta dias na proporção de uma colher de sopa rasa para vasos com 20 a 22 cm de comprimento (vasos menores ou maiores deverão receber quantidade proporcional ao seu tamanho). Caso sua planta ainda esteja em formação e ainda não esta em vaso para bonsai, pode se colocar esta mistura diretamente no solo, entretanto se o seu bonsai já está envasado, coloque a mistura em um potinho perfurado e enterrado no solo para que a mistura não se espalhe e com o tempo torne o substrato do vaso compactado - retire o potinho com a mistura a cada 2 meses).  Lembrando sempre que devemos fazer no mínimo uma vez por ano uma adubação com micro nutriente (Ca {Cálcio}, Mg {Magnésio}, S {Enxofre}, B {Boro}, Cl, Cu, Co, Fe…).
A Pitangueira não deve ser adubada um mês antes mês de seu transplante. Melhor época para iniciar a adubação é a primavera. Nunca adube plantas doentes ou recém transplantadas. Em meses muito quentes não adube.
As mirtáceas guardam energia que podem provocar brotações após terem suas raízes podadas, estas brotações não são sinais que as suas raízes estejam crescendo em baixo no solo, e que esteja tudo bem com a planta. Tome muito cuidado com isso e aprenda a identificar este tipo de crescimento, pois se você usar adubos para incentivar o crescimento destes novos ramos poderá matar sua árvore.


Poda - A poda da Pitangueira deve ser feita usando uma tesoura afiada. Pode encurtando os novos rebentos com 6-8 pares de folhas para deixá-los com 1-2 pares. Podam-se todos os ramos que saem de zonas indesejáveis devendo procurar alcançar o estilo desejado. Podas mais drástica deverão ser efetuado no final do inverno, início da primavera. A Pitangueira brota na madeira velha suportando muito bem podas drásticas renovando-se logo depois com uma brotação intensa. A Pitangueira pode ser desfolhada no verão o que ocasionará um tom avermelhado em sua copa e a diminuição das folhas. Isso, porém só deverá ser efetuada em plantas sadias. Use sempre tesouras e alicates de podas bem amoladas para que os cortes sejam limpos. Mantenha sua ferramenta sempre limpa para que não transmita alguma doença através da poda. Não economize quando for comprar suas ferramentas, as melhores são geralmente mais caras.



Transplante - Quando efetuarmos a troca de Solo deverá podar no máximo 35 % das raízes. Deve-se providenciar a troca de terra da Pitangueira anualmente ou a cada dois anos, fazendo isso normalmente no inicio da primavera quando a árvore inicia sua brotação intensa. Nunca adube plantas doentes ou recém transplantadas. Evite lavar as raízes da pitangueira se for necessário para se retirar a porção de solo ruim que veio com a muda, faça cortes no solo como fatias de pizza até bem próximo do tronco faça isso a cada ano até que toda terra ruim seja retirada. Não se esqueça de por uma tela plástica nos furos do vaso. Para a firme sustentação da árvore e mantê-la assentada no vaso, passe arames ou barbante - que apodrecerá com o tempo - se optar pelo arame corte-os tão logo perceba que a árvore esta com ótimo desenvolvimento. Se desejar poderá fazer uso de enraízadores para adiantar o processo de estabelecimento da árvore. Comece a adubação cerca de 40 a 50 dias após o transplante quando os primeiros brotos estiverem crescendo, use metade do adubo que normalmente se usaria. Mantenha a árvore na sombra até que comecem a aparecer os primeiros brotos após o que vá aumentando aos poucos sua exposição ao sol.

Aramagem - A aramagem é uma técnica usada que visa: Corrigir o posicionamento dos ramos, conduzindo-os para a posição desejada.                                                                                O tempo de permanência dos arames nos ramos vai depender do tipo de árvore e do seu crescimento: Em média deixa-se o arame por seis meses verificando sempre se este não esta produzindo marcas no tronco. Se os arames estiverem penetrando na casca tire-os imediatamente. Deve-se evitar o uso de arames de cobre. Use arames encapados ou proteja o tronco do contato com ele. Tencionar os ramos tem sido uma técnica muito usada para alcançar a forma desejada, tencione o galho cuidadosamente, quando sentir que não é possível dobrar mais o galho pare. Se for preciso tencionar mais o galho para que chegue a posição desejada, espere mais seis meses ou um ano até que a planta esteja restabelecida do primeiro movimento para tencioná-lo novamente.  Na Pitangueira o arame usado deverá ser encapado ou deveremos fazer uma proteção no tronco para que não fiquem marcas.
Melhor Época para Aramação: Final do Verão, mas poderá ser efetuada em outras estações.
A grossura do arame dependerá da força necessária para se vergar o ramo. Mas uma vez vou lembrar, na pitangueira devem-se proteger os ramos do contato direto com o arame. Para retirar o arame corte-os com um alicate próprio para isso.
Árvores com troncos lisos como os das Pitangueiras devem estar livres de marcas, portanto podas efetuadas com ferramentas de excelente qualidade proporcionarão uma cicatrização rápida e perfeita. 


 PROPAGAÇÃO - Os métodos mais usados são: a enxertia; a semente; no Verão, o alporque.
O melhor modo de se propagar a Pitangueira é utilizando suas sementes que germinam relativamente fácil. A enxertia é uma técnica mais difícil e requer certa habilidade do Bonsaísta. Não sendo usada no cultivo do bonsai na Pitangueira por deixar marca permanente no tronco. O alporque pode ser usado produzindo como resultado uma planta mais madura que pode ir direto para o vaso. É um método muito usado por grandes bonsaístas esperientes.  

Dicas  - Antes de fazer a aramagem suspenda as regas, isso fará os galhos ficarem mais flexíveis facilitando a torção do mesmo.
- Caso surja fungos esse pode ser tratado com a moderação na rega, e a retirada com uma escova e fungicida.
- Para deixar mais flexível o fio de cobre aqueça-o no fogo antes de usá-lo.
- Desfolhe a pitangueira no início de janeiro e ela brotará com uma folhagem menor.
- Uma adubação rica em fósforo iniciada no final do inverno indo até outubro, induzirá a pitangueira a dar frutos no verão.

- Se tiver dúvidas de como aplicar os métodos a cima busque a orientação de bonsaístas experientes.
Faça um curso. Existem excelentes bonsaístas que ministram cursos de alta qualidade. Não veja isso como um gasto, mas como um investimento para o futuro.  Você mudará a sua maneira de ver o Bonsai.
Usar as técnicas aprendidas de maneira correta lhe dará confiança e os resultados obtidos em suas árvores lhe darão enorme satisfação evitando perdas de tempo e enormes prejuízos financeiros. Este é o meu conselho. 


Nenhum comentário: