"O Bonsai é um breve pensamento poético que nos toca o coração.”

O bonsai é uma arte de possibilidades ilimitadas.

16 junho 2011

Técnica da mamadeira.


                              Técnica da mamadeira.


Essa é uma técnica muito usada por bonsaístas para recuperação de plantas fracas ou acelerar o desenvolvimento das suas árvores. Essa técnica proporciona um maior desenvolvimento do tronco e dos galhos, um aumento considerável da folhagem reduzindo o tempo de formação de uma simples muda em uma árvore de aspecto adulto em um tempo bem menor. 
A técnica da mamadeira tem certas vantagens sobre o plantio direto no solo, pois permite que o bonsaísta escolha o tipo de solo que deseja usar podendo ele trabalhar com dois tipos de solos ao mesmo tempo; Permite também que o bonsaísta erga a planta a altura dos olhos o que facilita muito a sua estilização e manutenção; também facilita mudar a planta de local para um canto mais sombreado no verão ou mais ensolarado no inverno ou para que ela fique protegida dos ventos o que em algumas espécies pode significar danos as suas folhas; é possível também ter um melhor domínio sobre o controle de pragas, as adubações e as regas, e sem dúvida é a maneira mais rápida de levar uma árvore diretamente  ao vaso definitivo.

Como executar

A primeira coisa a fazer é o plantio da futura árvore no escorredor plástico usado na cozinha. Esta peça possui a vantagem de ser totalmente furado desde o fundo até as laterais. É preciso usar um substrato de boa qualidade que possibilite uma boa drenagem. Isso é conseguido usando-se pedriscos ou cacos de telhas de granulação entre três a cinco mm dependendo da espécie a ser plantada. Uma boa mistura poderá ser composta por 70% grãos de três a cinco mm e 30% de matéria orgânica. Você poderá fazer uma variação desta mistura dependendo da espécie a ser plantada, por exemplo: usando mais matéria orgânica se a espécie for florífera ou se o clima de sua região for muito quente e seco. Os cuidados são os mesmos usuais a um transplante. Comece uma adubação leve cerca de 60 dias após o transplante e vá aumentando aos poucos. O escorredor provocará um aumento na massa radicular de sua planta e as raízes logo estarão saindo pelos inúmeros furos do escorredor. Você perceberá que as pequenas pontas brancas de raízes que escapam pelos furos ficarão escuras com o sol sobre elas. Não se preocupe com isso, pois faz parte do processo. É hora de prepararmos a mamadeira.



                                              Preparação da mamadeira


No momento em que as raízes de nosso futuro bonsai estiverem saindo pela parte do fundo do escorredor e nas laterais é hora de colocá-lo na mamadeira.
Escolha uma bacia plástica com o pelo menos o dobro do tamanho do escorredor e faça vários furos no fundo da mesma e em sua lateral. Você poderá usar um ferro de solda para executar esse trabalho. Quanto maior a quantidade de furos melhor. Alguns bonsaístas costumam usar como substrato para a mamadeira uma composição de 50% de areia grossa e 50% de esterco bem curtido. Outros usam apenas esterco bovino bem curtido. Mais uma vez é importante fazer uma boa escolha do composto levando em consideração a espécie que esta sendo cultivada e o clima de sua região. Por exemplo: Uma jabuticabeira terá um excelente crescimento se o substrato da bacia for apenas esterco curtido. Já um pinheiro negro poderá sofrer com o excesso de umidade.
Um erro muito comum entre os iniciantes é o de enterrar completamente o escorredor na bacia. Não se deve enterrar o escorredor, mas apenas apoiá-lo sobre o substrato na bacia. Vou explicar o motivo: quando os furos do escorredor ficam fora do solo às pequenas raízes que saem por eles são queimadas pelo sol ou secam em contato com o ar, isso provoca uma divisão natural da raiz dentro do escorredor que fica cheio de raízes capilares que manterão a árvore viva quando formos retirar a árvore da mamadeira. Alguns usam enterrar o escorredor alegando que se não o fizerem o vento tombará a árvore. Para que isso não ocorra apóie o escorredor sobre o substrato da bacia e amarre o escorredor na lateral da mesma, isso evitará o tombamento do escorredor. É importante também que a bacia seja mantida suspensa apoiada por suportes o que permitirá a entrada do ar pelos furos e uma boa drenagem.







                              Como proceder com a adubação?

É importante dizer que o tempo de permanência de nossa árvore na mamadeira dependerá dos objetivos do bonsaísta. Porém os resultados serão mais bem observados a partir do segundo e terceiro ano. Não é incomum que se mantenha esse processo por quatro, cinco ou mais anos o que exigirá de nós uma excelente rotina de adubação. É preciso lembrar que neste processo temos dois meios de cultura, ou seja, dois locais de enraizamentos distintos, um deles sendo o escorredor e o outro a bacia e ambos precisam de nossa inteira atenção. Antes de falarmos sobre a adubação, gostaria de mencionar que com o passar do tempo alguns bonsaístas, costumam utilizar-se de uma segunda bacia cheia de substrato, onde depositam a mamadeira com o objetivo de prover melhor alimentação das raízes e mais espaço para o seu desenvolvimento, seja como for, sempre será preciso tratar cada recipiente com distinção tanto na adubação quanto na rega.
Qual a necessidade de cada recipiente? O escorredor precisa receber uma atenção especial, pois nele esta as raízes que ocuparão o vaso definitivo quando retirarmos a árvore da mamadeira, portanto é importante que as raízes deste local sejam tratadas como se fosse um bonsai já estabelecido no vaso definitivo. A adubação no escorredor deverá ser mais freqüente usando um adubo um pouco mais fraco. É importante que esse substrato não fique ressecado para que as raízes capilares não venham a morrer, caso o escorredor seja negligenciado correremos o risco de que só permaneça nele raízes lignificadas que não poderão alimentar a nossa árvore e prejudicará ou até mesmo impedira de levarmos nossa árvore diretamente para o vaso definitivo.
Na bacia se encontra as raízes que se estenderam em maior número, com o tempo algumas delas se tonarão mais grossas e mais pesadas, sendo assim na bacia estará um número maior de raízes que poderão receber uma alimentação um pouco mais forte. O substrato desta bacia normalmente será mais úmida que o escorredor por se ter mais solo e normalmente mais matéria orgânica.
Fazer uma variação na utilização de adubos químicos e orgânicos é uma ótima  sugestão que poderá ser usada tanto no escorredor quanto na bacia.
 Lembrado que deveremos pelo menos uma vez a cada ano fazer uma adubação com micros nutrientes.

                                                      Cuidados

É possível e desejável que o bonsai seja trabalhado enquanto estiver na mamadeira. Podas de manutenção poderão ser efetuadas mesmo as podas para melhorar a estética, aramação e torção também poderão ser feitas. Eu aconselho fazer a desfolha somente quando toda estrutura da árvore já esteja formada e seja preciso aumentar a massa foliar e ramos periféricos. Não se deve fazer durante todo este período podas de raízes.
 
                                                           Levando para o vaso

Quando achar que a árvore já alcançou o resultado esperado, é hora de plantá-la em seu vaso definitivo. A esta altura você já deve ter em mente o tipo de vaso que deseja para a sua árvore. A escolha do vaso correto exige uma boa observação e algum conhecimento. Normalmente o vaso é feito para a árvore, de acordo com a estrutura do bonsai, portanto não tenha pressa em comprar um vaso, analise fotos de outras árvores que possuem o mesmo estilo que a sua, observando atentamente as suas formas cores e texturas. Falarei sobre vasos em outro artigo.
Retire à árvore cortando as raízes que unem o escorredor a bacia e depois retire o escorredor, faça uma poda nas raízes como se estivesse podando as raízes de um bonsai já estabelecido retirando as raízes mais grossas e deixando as mais finas, é importante que não se retire todo o substrato ao redor das raízes. Tome cuidado com correntes de ar que podem secar as raízes capilares, mantenha estas últimas úmidas. Deixe parte do antigo substrato ao plantar e complete o resto com um substrato novo. No futuro quando precisarmos reenvasar nossa árvore retiraremos esse solo que foi deixado. Regue com abundância e se desejar use algum hormônio enraízador. Mantenha a planta protegida em local bem iluminado longe do sol e dos ventos por pelo menos 20 dias e depois vá levando ela para o local onde ficará em definitivo. Comece a adubação após 30 dias.

Eduardo Guedes.